Pintura Electroestática a Pó

Tensão VS. Corrente – Como se relacionam?


A tensão e a corrente têm uma relação inversa quando há uma quantidade limitada de alimentação eléctrica. Este é o caso com as pistolas de pintura a pó electroestático. A tensão é o potencial eléctrico para executar o trabalho, enquanto a que corrente é a medição do movimento da electricidade, ou o trabalho a ser realizado. Uma vez que o potencial seja utilizado, torna-se em corrente; portanto há menos potencial ou energia que sobra. A tensão e a corrente são definições úteis e indicadores para as pistolas electroestáticas.

"KV" (kilovolt = 1000 volts) é a unidade de medida que indica a quantidade de carga eléctrica que a pistola consegue produzir. A corrente (em micro amperes) é a unidade de medida que indica a quantidade de carga que se desloca do eléctrodo da pistola para o ar/pó que sai da pistola e também o substrato. A pistola deve estar definida no valor de KV máximo disponível, desde que não produza um acabamento indesejável. Isto acontece porque uma definição alta de KV gera o potencial mais elevado para a carregar o pó do que uma definição inferior, resultando portanto numa melhor eficiência de transferência. A KV deve ser reduzida apenas quando se torna necessário reduzir a ionização posterior ou outros efeitos indesejáveis que não podem ser controlados de outra forma. Pode ser igualmente necessário reduzir a KV aquando da pintura de uma peça de modo a reduzir as possibilidades de ionização posterior causada pela carga aplicada no acabamento curado abaixo.

O feedback da corrente é uma melhor indicação do que a tensão do que a carga electroestática está a fazer. Isto acontece porque a corrente lhe indica a quantidade de carga que se desloca ou trabalha em vez do potencial da carga. Por vezes, a corrente pode ser limitada com sistemas de pintura electroestática a pó, dependendo do tipo de unidade de controlo da pistola. A limitação da corrente é uma excelente forma de controlar a carga electroestática produzida pela pistola. Também é uma forma excelente de alcançar uma eficiência de transferência elevada, enquanto trabalha próximo do substrato de forma a tentar superar o Efeito da Gaiola de Faraday. Para a primeira passagem de pintura de peças complexas, os KV devem estar definidos no máximo com a corrente limitada a aproximadamente 25 a 30 micro amperes.

Deve ter-se em consideração que a definição de 100 KV também representa uma definição limitadora incorporada na fonte de alimentação. Provavelmente não terá 100 KV ao pulverizar uma peça. Aquando da pulverização de uma peça, o potencial (tensão) está a ser percebido devido à carga na fonte de alimentação e será inferior à definição real. À medida que a distância entre a pistola e a peça é mais curta, a carga da corrente aumenta. À medida que a carga da corrente atinge o ponto de definição limite, a KV irá cair rapidamente. Esta queda brusca da KV é o que permite a evitar a ionização posterior quando se trabalha junto ao substrato.

A conclusão é que a tensão e a corrente são factores muito importantes no processo de pintura electroestática a pó. A utilização de uma unidade de controlo que possui a capacidade de monitorizar estas definições é uma vantagem clara e proporciona ao utilizador uma máxima flexibilidade e controlo.